projetos / casa de caridade Salvador

Casa de Caridade Adolfo Bezerra de Menezes em Lauro de Freitas (Salvador-Bahia)

A Dona Flor e.V. ajuda a Casa de Caridade desde o ano 2000. O projeto propriamente existe desde 1988, quando Reinaldo Martins Batista (diretor da associação) fundou uma creche, na sua propria casa, onde 70 crianças são atendidas. As crianças além de receberem 3 refeições por dia, recebem também ajuda nos deveres escolares.  Reinaldo fundou , ao mesmo tempo,
Um asilo para 60 idosos deficientes. Para isso foi contruido um novo prédio, onde os idosos são atendidos por médicos, enfermeiros e ajudantes que fazem serviços voluntários. Tudo isso só é possível através de donativos.
 

Em 1988 no bairro de Itinga, município de Lauro de Freitas, lugar muito pobre, localizado nas imediações de Salvador-Bahia, a associação dos moradores do bairro fundou uma creche para atender e alfabetizar as crianças carentes do bairro.

Essas crianças de familias muito pobres ficavam pelas ruas, sozinhas ou trancadas em casa, muitas vezes até sem alimentação, enquanto seus pais saiam para o trabalho.

Como a associação não contava com nenhum recurso financeiro, ficou decidido que a creche funcionaría, inicialmente, na casa de Reinaldo Martins Batista, nomeado presidente, que até hoje exerce essa função.

Seriam admitidas crianças de 1 a 6 anos de didade por um período integral, com 3 refeições diárias.

A prefeitura se comprometeu a dar uma ajuda mensal, e os pais, se possível, contribuiriam com uma pequena quantia de 5 a 10 reais por mês e o restante das despesas seriam cobertas por doações particulares, do comércio e também através de eventos realizados pela própria associação.

Um outro projeto surgiu com o intuito de orientar as crianças de idade escolar comproblemas familiares e dificuldades no aprendizado.

Como o espaço era pouco, foi construído mais um cômodo grande ao lado da cozinha para abrigar 11 crianças que passaram a viver lá até adquirirem a idade de 18 anos. Durante esse período tiveram a oportunidade de aprender a profissão de marceneiro ensinada por Reinaldo.

Um fato bastante triste levou Reinaldo a iniciar um terceiro projeto: uma vizinha pediu a ele que ajudasse um homem que se encontrava doente, com ferida na perna e há vários dias dormindo na calçada ao lado de um posto médico. Depois de visitar diversos hospitais e ser recusado por perigo de contaminação, Reinaldo, com toda a sua bondade, decidiu acolhê-lo com a intenção de cuidar dele até sua total recuperação.

Com o passar do tempo o senhor continuava sem ter para onde ir e então Reinaldo e sua equipe começaram também a acolher idosos desabrigados.

Alugaram uma casa, no outro lado da rua, para acomodar os homens. As mulheres foram provisoriamente acolhidas no subsolo da casa de Reinaldo, lugar não muito apropriado, escuro e com pouca ventilação. Só que essa situação provisória durou muitos anos.

O grande sonho de Reinaldo e sua equipe era poder construir uma sede, onde pudesse abrigar todos os projetos.

Em 1999, através da doação de um veículo, surgiu a grande oportunidade da realização deste sonho. Com o dinheiro arrecadado com a venda do automóvel, foi possível comprar um grande terreno. Em dezembro de 2000 foram iniciadas as obras.

Ao longo desses anos a construção foi se desenvolvendo conforme as doações recebidas.

Finalmente, no começo de novembro de 2006, foi inaugurada a primeira fase da construção, num total de 700 metros quadrados, com toda infra-estrutura necessária para acolher primeiramente os idosos. Atualmente o lar do idoso abriga na nova sede 40 pessoas, sendo 25 homens e 15 mulheres.

O atendimento é feito por voluntários, entre eles médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e ajudantes em geral.

A Prefeitura contribui com uma parte na alimentação e medicamentos e também colocou à disposição 3 funcionárias. As outras necessidades são supridas por eventos organizados na sede e por meio de doações.

A nova sede, que funciona também aos sábados, oferece apoio, orientação educacional e ainda a prática de atividades recreativas a pais, gestantes e jovens de até 18 anos.

A creche-escola continua funcionando na casa de Reinaldo, de segunda a sexta-feira, das 7 às 17 hs.  e recebe 70 crianças carentes do bairro, com idade entre 2 e 7 anos.

Desde o ano 2000, Dona Flor vem colaborando intensamente nesse projeto, acompanhando e documentando seu desenvolvimento.

Todo dinheiro destinado ao projeto é entregue pessoalmente. As compras são feitas e pagas por nós mesmos e as notas e comprovantes são arquivados na pasta de contabilidade, e colocada à disposição dos interessados. Isso significa que nossas doações chegam 100% ao destino.

Dona Flor colaborou com a compra de telhas, madeiras, materiais elétricos, hidráulicos, sanitários, pisos, cimento, caixa d'água, portão de entrada, etc. Portanto, sentimos uma imensa satisfação em saber que o trabalho da Associação Dona Flor, realizado por todos sempre com muito carinho, amor e dedicação, encontra-se em cada cômodo desta sede.